Sábado , Julho 13 2024
ÚLTIMAS
Home / BLOG / Pequenos 1300 foram gigantes nas lutas atrás do ligeiro Citroen AX Sport de Luís Mendes
Pequenos 1300 foram gigantes nas lutas atrás do ligeiro Citroen AX Sport de Luís Mendes

Pequenos 1300 foram gigantes nas lutas atrás do ligeiro Citroen AX Sport de Luís Mendes

Spread the love

O primeiro fim de semana de corridas da edição 2024 do Campeonato de Portugal de Velocidade 1300 não deixou créditos por mãos alheias e as mais de duas dezenas de pilotos entregaram-se às lutas entre classes com compromisso e muito respeito em pista.

A primeira corrida foi ganha por Luís Mendes sem grande história. O piloto do Citroen AX Sport não foi muito feliz na largada e foi batido por João Braga. Porém, duas curvas depois recuperou a sua posição e até final não deu muitas chances aos seus adversários. João Braga (Datsun 1200) envolveu-se numa luta sem quartel com Jorge Marques (Toyota Starlet) e Pedro Barbosa (Datsun 1300). A esta “dança” juntu.se Carlos Barbosa da Cruz com o seu Datsun 1200 Coupé.

Foram vários os episódios desta luta, destacando-se a volta em que Jorge Marques recebeu o espírito de Jacques Villeneuve e tentou uma ultrapassagem, por fora, a João Braga. Valeu ao piloto do Datsun a maior velocidade de ponta do 1200 face ao Starlet.

Carlos Barbosa da Cruz foi trepando na classificação com várias ultrapassagens com travagens no limite. Até que falhou uma passagem de caixa, perdeu tempo e posições. Tentou recuperar, mas o Datsun 1200 pareceu “tocado” e com Nuno Soares e Pedro Barbosa (ambos em Datsun 1200) a entrarem na luta, Barbosa da Cruz acabou por cair até ao 6º posto.

Muito rápido esteve Duarte Trindade que levou o Peugeot 106 até ao sétimo lugar, tendo mesmo sido uma “melga” para os homens dos Datsun 1200. Ficou na frente de outra “melga”, desta feita, o Austin Metro de Miguel Miguel, excelente no oitavo lugar. Uma posição ainda mais saborosa, porque o piloto de Cascais teve de defrontar a acérrima oposição de Joao Arantes (Toyota Starlet) e Fernando Charais que pressionou muito o Austin Metro.

Contas feitas às categorias, Luís Mendes ganhou a L1300, seguido de Jorge Marques, Duarte Trindade, João Arantes, Rui Gama e Fernando Charais, embora este tenha tido o infortúnio de abandonar no último terço da derradeira prova da corrida.

Nos H75, vitória, claro, para João Braga seguido de Pedro Barbosa, Nuno Soares, Carlos Barbosa da Cruz, tendo sido nesta categoria o primeiro abandono da corrida, o Datsun 1200 de Nelson Resende. Pese embora serem apenas quatro os modelos inscritos no Desafio ANPAC, a verdade é que os Fiat Punto mantiveram o nível de espetáculo de 2023. Ruben Fernandes foi o mais rápido, seguido de Miguel Ribeiro e Nuno Pinheiro. O Punto de António Costa abandonou a refrega com sete voltas cumpridas. Finalmente, vitória na Taça 1000 para o avô da velocidade, Miguel Barata (que cumpriu 87 garbosos anos no Estoril) e de Miguel Miguel na H81.

A segunda corrida ficou marcada pela entrada em pista do “Safety Car” depois do motor do Peugeot 106 Rally de Paulo Teixeira ter entregado a alma ao criador e encharcada de óleo entre a parabólica interior e a curva da Orelha.

Os pilotos fizeram, apenas, 10 voltas, mas tivemos uma corrida ASC e uma corrida DSC, ou seja, “Antes do Safety Car” e “Depois do Safety Car”. Luís Mendes, com os pneus frios, perdeu a liderança no recomeço. Um “deja vu” da primeira corrida. O piloto do AX Sport recuperou a liderança e a vitória acabou no bolso de Luís Mendes. Atrás do Citroen e do Datsun chegou a haver um quatro lado a lado na travagem para a Curva 1 do Autódromo.

A mecânica mais maldisposta – é da idade! – dos Datsun 1200 acabou por dar palco a outros pilotos. Com João Braga a não conseguir defender o seu segundo lugar, foi Jorge Marques quem teve de suar as estopinhas para passar por Duarte Trindade que, assim, ficou com um saboroso pódio na frente dos Datsun 1200 de Nuno Soares e Nelson Resende. Quem não participou até final foi o Datsun 1200 de Carlos Barbosa da Cruz.

Para Miguel Miguel, mais problemas técnicos deixaram o jovem piloto a uma volta do líder depois de uma passagem pelas boxes. Rui Gama e Nuno Pinheiro não participaram nesta segunda corrida. Contas feitas às classes, claro, segunda vitória para Luís Mendes nos L1300, seguido de Jorge Marques, Duarte Trindade (Peugeot 106), João Arantes (Toyota Starlet) e Mota Freitas (Citroen AX Sport).

Nos H75, vitória para Nuno Soares (Datsun 1200) seguido por Nélson Resende (Datsun 1200) e Pedro Barbosa (Datsun 1200). Nos H71, João Neves levou o seu Datsun 1200 à vitória, repetindo o sucesso da primeira corrida. Finalmente, Miguel Miguel ganhou os H81.

No Desafio ANPAC, com a ausência de Nuno Pinheiro, Ruben Fernandes e António Costa lutaram pelo primeiro posto e ainda se entretiveram com uma escaramuça com Mota Freitas. Miguel Ribeiro foi o terceiro.

&nbsp

MEDIA4RACE TV

Scroll To Top